Elanco

Capítulo 2, Protegendo Seu Animal Contra Carrapatos, Pulgas e Vermes

Clock icon

Aprenda sobre proteção em 10 minutos

Tick icon

Receba o Certificado de Protetor de Animais

Thumbs up icon

10 pessoas gostaram desta lição

6 Maneiras de Proteger a Saúde do Seu Cãozinho

Ter o seu primeiro cãozinho pode ser muito emocionante para qualquer pessoa de qualquer idade. Você pensa em todos os truques que ensinará para ele, em todos os brinquedos divertidos e se imagina brincando de arremessar algo para que ele busque no parque.

Mas há algo que deve ser feito antes e que muitas pessoas não consideram. A proteção contra carrapatos, pulgas e vermes é muito importante quando você está aprendendo a cuidar do seu cãozinho.

Embora você não possa controlar todas as doenças e condições, a proteção contra carrapatos, pulgas e vermes, com certeza, é algo que qualquer responsável pode controlar.

A seguir, são apresentadas 6 maneiras de proteger a saúde do seu cãozinho.

1 Entender o risco de carrapatos e pulgas

Embora sejam muito pequenos, os carrapatos podem causar um grande risco para a saúde do seu cãozinho. É importante identificar os diversos tipos de carrapatos para que você possa adotar as medidas necessárias para garantir que seu cãozinho continue saudável e seguro. Embora seja bom ter um plano de ação caso seu cãozinho seja picado, o melhor método de proteção é a prevenção.

  1. "Carrapato Marrom" – conhecido por sobreviver em ambientes internos e encontrado em casas, canis e áreas habitadas por animais. O hospedeiro preferencial desse carrapato é o cão.
  2. "Carrapato Estrela" – prevalente em áreas muito arborizadas/rurais e pode se esconder sob galhos e no mato. Os hospedeiros preferenciais desse carrapato são os cavalos e capivaras, mas em altas infestações parasitam também os cães e seres humanos.

1 Entender o risco de carrapatos e pulgas (cont..)

Muitos sintomas como letargia, febre , problemas articulares e até mesmo óbitos são causadas por doenças transmitidas por carrapatos e pulgas, mas essas causas geralmente passam despercebidas. A seguir são apresentadas algumas doenças transmitidas por carrapatos e pulgas:

  1. Infestações de Carrapatos2:
    1. Babesiose - causa destruição das células vermelhas do sangue, resultando em anemia, letargia, febre, mucosas amareladas e até morte.
    2. Erliquiose - geralmente resulta em distúrbios de coagulação por contagem de plaquetas reduzidas, febre, letargia, dor nas articulações e nos membros, deterioração da medula óssea e até a morte.
    3. Febre Maculosa - sinais variados que incluem vômito, diarreia, dor nas articulações, letargia e até a morte.

1 Entender o risco de carrapatos e pulgas (cont..)

  • Infestação de pulgas3:
    1. Anemia – condição que pode ser causada por pulgas pelo excesso de sangue ingerido e consequentemente letargia por baixa oxigenação
    2. Bartonella – infecção bacteriana (doença da arranhadura do gato), que causa desconforto estomacal, febre, alterações neurológicas e pode ser transmitida para seres humanos
    3. Dermatite Alérgica à Picada de Pulga (DAPP) – a doença mais comum em cães domésticos; causa lesões de pele, perda de pelo, coceira frequente e infecções cutâneas secundárias
    4. Verme intestinal chato (Dipyllidium caninum) – transmitida por pulgas e pode causar obstrução ou desconforto gastrointestinal, além de também poder ser transmitido aos seres humanos

    1 Entender o risco de carrapatos e pulgas (cont..)

    Onde seu cãozinho pode entrar em contato com pulgas e carrapatos?

    Seu cão pode pegar carrapatos e pulgas em diversos lugares – alguns deles inesperados.

    1. Locais infestados por esses parasitas, incluindo ambientes internos com alta circulação de animais, como clínicas veterinárias, pet shops, creches, hotéis.
    2. Arbustos
    3. Praias
    4. Quintal de casa
    5. Perto de leitos d’água
    6. Ambientes internos (animais que ficam dentro de casa ainda são suscetíveis se você tiver outros animais que passeiam, animais de terceiros que frequentam sua casa, se você viajar com seu animal ou, até mesmo, se tiver objetos vindos de fora)

    1 Entender o risco de carrapatos e pulgas (cont..)

    Carrapatos e pulgas vivem no ambiente externo, como em jardins, mas mais comumente estão nos ambientes internos, de alvenaria, e são atraídos pelo calor, sendo que as pulgas podem até se mover de um objeto para outro. Como responsável de um cãozinho, você deve pensar nos lugares por onde passeia com seus cães e deixa que eles brinquem, caminhem e nadem. Converse com o veterinário sobre o estilo de vida do seu animalzinho.

    2 Desenvolva uma estratégia de proteção contra carrapatos e pulgas

    Muitos responsáveis se esquecem que devem proteger seus animais o ano inteiro. Carrapatos e pulgas são ativos em qualquer lugar com temperatura acima de 2 graus celsius, mas aparecem em maior número nos meses mais quentes. Durante o inverno, os carrapatos se abrigam em frestas e esconderijos nos ambientes internos e sob as folhas em ambientes externos, já as pulgas podem se abrigar dentro ou embaixo das casas. A DAPP e as hemoparasitoses transmitidas pelos carrapatos estão entre as maiores causas da ida de cães ao médico veterinário

    Mesmo que seu cãozinho passe a maior parte do tempo dentro de casa, uma única fêmea fértil de carrapato pode botar de 4.000 a 15.000 ovos4 em qualquer lugar caso tenha a oportunidade. Algumas pulgas podem sobreviver durante semanas em ambientes internos e podem botar até 50 ovos ao dia.3 Infestações podem levar mais de 2 meses para serem resolvidas a partir do início do tratamento. Em condições normais, a maioria das pulgas adultas geralmente sobrevive de 2 a 3 meses. Infestações moderadas a graves pode levar meses para serem controladas.3

    2 Desenvolva uma estratégia de proteção contra carrapatos e pulgas (cont..)

    Só é preciso um casal de pulgas ou carrapatos adquiridos no passeio em um dia de inverno um pouco mais quente e, de repente, você tem uma infestação impressionante em seu cãozinho e sua casa. Garantir a proteção durante todo o ano com tratamentos fáceis e de ação rápida é essencial para manter seu cãozinho saudável e evitar a infestação ambiental.

    Em vez de expor seu animal, sua casa e você a riscos, faça da proteção mensal contra carrapatos e pulgas uma parte da rotina normal de bem-estar.

    3 Entenda qual é o risco de vermes para seu Pet

    O risco de vermes está presente independentemente da região. Visto que é praticamente impossível evitar infecções causadas por vermes, adotar as medidas apropriadas para garantir que seu cãozinho seja tratado adequadamente e repetidamente contra vermes pode evitar muitos problemas para ele e para você.

    1. O risco de seu cão contrair vermes é maior se ele:
      1. Viajar – embora viajar e visitar parques para cães seja importante para que seu cão se sociabilize e se exercite, isso pode aumentar o risco de exposição a vermes
      2. Comer alimentos crus, como carne
      3. Comer grama ou cavar no quintal

    3 Entende o risco de vermes (cont..)

  • Estes são alguns dos vermes mais comuns que seu cão pode encontrar:
    1. Dirofilária (verme do coração) – transmitida de cão para cão por meio da picada de mosquitos, passa despercebida nos estágios iniciais, mas causa dificuldade para respirar, tosse, fadiga, insuficiência cardíaca e morte nos estágios avançados
    2. Verme intestinal chato (Dipyllidium caninum) – transmitida por pulgas e pode causar obstrução ou desconforto gastrointestinal, além de também poder ser transmtido aos seres humanos
    3. Vermes intestinais redondos – os cães podem pegar esses vermes ao brincar em ambientes externos e a infecção pode causar vômito, diarreia, obstrução intestinal e, até mesmo, ser transmitida para seres humanos, principalmente crianças que brincam em locais sujos onde animais defecaram

    Humanos de qualquer idade também podem ser afetados por vermes transmitidos pelos seus animais, por isso é importante para toda a família que o animal permaneça saudável.

    4 Não se esqueça de proteger seu cãozinho contra dirofilariose

    A dirofilariose é um risco comum para cães de qualquer idade. As dirofilárias podem atingir até 30 centímetros de comprimento e viver nos grandes vasos sanguíneos dos pulmões.6 Os resultados dos exames realizados em cães também não são positivos por até 6 meses após a infecção.6 Nesse momento, seu cão já deve estar bem maior e os vermes continuarão crescendo, podendo, até mesmo, levar à morte.

    Fique atento aos seguintes sinais e leve seu cão ao veterinário para um exame de dirofilariose todos os anos. Faça a prevenção mensal de seu cão contra a dirofilariose.

    • Tosse seca
    • Dificuldade para respirar
    • Perda de peso
    • Letargia

    4 Não se esqueça de proteger seu cãozinho contra dirofilariose (cont..)

    Caso não seja tratada, a dirofilariose também pode causar problemas no coração, nos pulmões, nos rins e no fluxo sanguíneo que são graves e representam um risco à vida.

    Você pode evitar tudo isso caso comece logo a proteger seu cãozinho contra a dirofilariose e realize o tratamento mensalmente. Seu cãozinho agradecerá você por isso.

    5 Desenvolva uma estratégia de proteção contra outros tipos de vermes

    Felizmente, é fácil tratar vermes se você mantiver um cronograma de dosagem regular para seu cãozinho e continuá-lo quando ele estiver adulto.

    Se você seguir essa estratégia simples, seu cãozinho pode explorar parques para cães e trilhas com muito menos preocupação e muito mais empolgação, tanto agora como futuramente.

    6 Desenvolva uma relação com o veterinário

    Pode parecer informação demais, mas, com a ajuda das visitas no primeiro ano de vida do seu cãozinho e das avaliações anuais com o veterinário, você pode manter uma estratégia.

    O veterinário terá as melhores e mais precisas informações em relação à saúde do seu cão.

    Embora as pesquisas na internet possam fornecer algumas informações, somente com a ajuda de um veterinário qualificado você obterá resultados definitivos e o tratamento necessário para seu próprio cão.

    Agende visitas anuais ou semestrais para seu cão e nunca deixe de marcar uma consulta se você tiver dúvidas ou se o seu cão estiver apresentando sinais incomuns.

    Referências

    Mais fatos sobre carrapatos, pulgas e vermes

    Descubra mais coisas importantes que você deve saber sobre carrapatos, pulgas e vermes e revise alguns pontos-chave deste guia abaixo.

    • Pulgas
    • Carrapatos
    • Vermes

    As pulgas podem estar no seu próprio quintal

    Seu cãozinho pode pegar pulgas em praticamente qualquer lugar, inclusive em canis, parques para cães e no quintal de casa. Cães e gatos domésticos podem ter pulgas. Quando esses animais passam pelo seu quintal ou em locais que seu cãozinho frequenta, os ovos de pulga caem deles e, quando viram pulgas adultas, vão atrás do seu cãozinho1.

    Pulgas são resistentes

    Assim que chega ao seu cãozinho, a pulga pretende permanecer nele. As pulgas não procuram novos hospedeiros após encontrarem um.1 Normalmente, se uma pulga pular no seu cãozinho, ela vem de um ambiente contaminado, não do contato direto com outro animal.

    Pode ser difícil ver as pulgas

    Em infestações leves, você talvez não consiga ver as pulgas no seu cãozinho. Mas, você pode encontrar bolinhas pretas de “cocô de pulga” no pelo. O número de pulgas pode aumentar rapidamente, visto que as fêmeas podem botar até 50 ovos ao dia e 2.000 ao longo de toda sua vida. Em infestações moderadas e graves, você pode ver, pelo menos, algumas pulgas adultas andando sobre a pele do seu animal.1 Quando você consegue ver as pulgas, o ambiente provavelmente já está contaminado. As pulgas podem continuar nascendo de ovos botados anteriormente por vários meses.

    As pulgas usam o seu animal para espalhar infecções

    As pulgas são mais do que apenas um aborrecimento. Elas podem causar infecção por vermes intestinais chatos, bartonelose (febre da arranhadura do gato) e outras doenças e condições que podem afetar tanto seu cãozinho como você.1

    Importante

    As pulgas podem estar bem debaixo do seu nariz e não serem vistas

    Lembre-se

    • Nenhum ambiente é completamente seguro
    • Nem sempre é fácil ver as pulgas
    • As pulgas causam infestações e também transmitem doenças.

    Carrapatos transmitem doenças

    Carrapatos podem transmitir várias doenças como a erliquiose, babesiose e febre maculosa. Algumas dessas doenças são debilitantes ou, até mesmo, fatais para seu animal e para você. 2

    Carrapatos trabalham duro

    Os carrapatos encontram hospedeiros por meio de um processo chamado busca.2,3 Eles sobem em vegetação alta, balançam suas pernas dianteiras para trás e para frente e, quando algum animal passa por perto, agarram-se e se alimentam.3

    Carrapatos se agarram

    Os carrapatos secretam uma substância parecida com cola para firmar suas mandíbulas na pele do seu animal.4,5 A melhor e mais segura forma de livrar seu cãozinho desses parasitas é administrar um produto que os elimine da forma mais rápido possível. Ao remover os carrapatos manualmente você pode esmaga-lo e suas mandíbulas continuarem na pele do seu animal, o que aumenta o risco de infecções e transmissão de doenças.

    Carrapatos podem viver em ambientes internos

    Rhipicephalus sanguineus (mais conhecido como carrapato marrom) é o carrapato mais disseminado em todo o mundo.6 Você irá encontrá-lo em qualquer lugar em que houver cães. Essa também é a única espécie adaptada para viver e se reproduzir em ambientes internos.3

    Importante

    Carrapatos são perigosos para você e seu animal

    Lembre-se

    • Carrapatos transmitem doenças
    • Há uma forma segura de remover um carrapato
    • Alguns carrapatos podem viver em ambientes internos

    Vermes estão em todos os lugares

    Ovos e larvas de vermes estão presentes na natureza, no solo ou em outros animais e insetos. Seu cão pode ser exposto a eles em qualquer lugar, desde o seu jardim até um parque público. Seu bichinho pode consumir ovos, larvas ou um hospedeiro intermediário de vermes, como uma pulga ou camundongo. Algumas larvas de vermes, como ancilóstomos, podem até penetrar na pele do seu animal de estimação e causar infecção (bicho geográfico).

    As mudanças ambientais estão aumentando o risco

    Devido a invernos mais amenos e por estarmos em uma região tropical, a população de parasitas e de seus hospedeiros está aumentando.7 Além disso, animais de estimação são mais propensos a estarem expostos a parasitas devido ao aumento de reservatórios. 8

    Seu animal de estimação pode não apresentar nenhum sinal

    Seu cão pode ter uma aparência saudável por fora, mesmo que os vermes estejam crescendo dentro dele: você talvez não consiga observar os sinais até que a infecção seja grave.

    Alguns vermes podem ser transmitidos para seres humanos

    Alguns vermes podem ser transmitidos de cães para seres humanos (zoonoses) por meio do contato ou do ambiente. Recomenda-se vermifugação regular para ajudar a minimizar o risco.9

    Importante

    Estar em qualquer ambiente externo pode expor seu animalzinho

    Lembre-se

    • Os riscos estão aumentando
    • Seu animal de estimação pode não apresentar nenhum sinal
    • Alguns vermes podem ser transmitidos para seres humanos (zoonoses)

    O Ciclo de Vida da Pulga

    É de extrema importância a constante proteção do animal para interromper o ciclo de vida da pulga.

    As pulgas adultas depositam seus ovos no ambiente, poucas horas do início da alimentação. Os ovos depositados no ambiente eclodem em larvas em algumas horas. Estas por sua vez, se transformarão em pupas e posteriormente, em pulgas adultas. Assim que as pulgas adultas emergem no ambiente, iniciam a alimentação imediatamente no seu hospedeiro.9

    Ovo

    Flea egg
    Pink chevron

    Larva

    Flea larvae
    Pink chevron

    Pupa

    Flea pupae
    Pink chevron

    Adulto

    Flea

    A produção dos ovos começa de 20 a 24 horas após a alimentação. Uma pulga fêmea pode produzir de 40 a 50 ovos ao dia e pode sobreviver durante 2 a 3 meses.10

    Hospedeiro

    Dog icon
    Pink chevron

    Adulto

    worm
    Pink chevron

    Ovo

    worm-egg
    Pink chevron

    Hospedeiro Intermediário

    Slug host

    Os ovos presentes nas fezes são ingeridos por um hospedeiro intermediário e o ciclo recomeça.11

    MUITA COISA PARA LEMBRAR?

    As informações apresentadas nesses capítulos são importantes, mas pode ser difícil lembrar de todas elas. Este material contém pontos-chave que devem ser lembrados.

    Baixar o material

    Baixe o E-book para se lembrar das principais informações dos três capítulos.

    Referências

    1 Dryden, M. et al. 2005 guidelines: flea control for dogs and cats. Advanstar Veterinary Healthcare Communications.

    2 Companion Animal Parasite Council. “Ticks for dog.” https://www.capcvet.org/guidelines/ ticks/.. Accessed December 27, 2017.

    3 Payne, P. and Dryden, MW. 2004. “Biology and control of ticks infesting dogs and cats in North America.” Vet. Ther. 5.2:1-16.

    4 CAPC. Parasite Prevalence Maps Lyme Disease [Internet]. 2018. Available at: http://www.petsandparasites.org/parasite-prevalence-maps#2018/ all/lyme-disease/dog/united-states. Accessed Feb 2019

    5Francischetti, I. et al. 2009. “The role of saliva in tick feeding.” Front. Biosci. 14:2051-2088.

    6 Dantas-Torres F.. Biology and ecology of the brown dog tick, Rhipicephalus sanguineus. Parasites & Vectors. 2010; 3:26-36.

    7Wright I. 2017. Veterinary Nurse 8;298-306.

    8Jenny H and Morgan E. (2017) In Practice 39;298-315.

    9Companion Animal Parasite Council. Ascarid. Available at: https://capcvet.org/guidelines/ascarid Accessed Feb 21, 2019.

    10CAPC. “Fleas.” https://capcvet.org/guidelines/fleas. Accessed February 10, 2019.

    11ESCCAP Guideline 01: Worm control in cats and dogs. Third edition